Como sátira ao banimento de GTA V, australianos querem acabar com a venda da Bíblia Sagrada

Mais sobre: Notícias Populares

 

Após pressão popular, as lojasTarget e Kmart não venderão cópias do game GTA V para a nova geração. A causa levantou mais de 40 mil assinaturas e convenceu os lojistas a não distribuírem o game, e foi criada por três mulheres que já foram vítimas de violência sexual, que afirmam que “ver essa forma de violência que nós passamos se tornar uma forma de entretenimento é nauseante e nos causa grande dor e dano”.

 

Como forma de “contra-ataque”, consumidores descontentes com o motivo que GTA V está sendo retirado das prateleiras criaram uma petição satírica: querem acabar com as vendas da Bíblia Sagrada, e pelos mesmos motivos que fizeram o game da Rockstar ser criticado. A petição foi criada no Change.org, mesmo site utilizado pelo pedido de retirada de GTA, e já conquistou 51 mil assinaturas (sim, já superou a campanha que está satirizando).

 

post

 

A petição usa trechos da própria Bíblia para argumentar contra a venda do livro mais sagrado do cristianismo. “Se a filha de um sacerdote se corrom­per, tornando-se prostituta, desonra seu pai; deverá morrer queimada”, citando Levítico 21:9.

 

Apesar de satírica, a petição traz dois pontos críticos sobre a discussão. Ao mesmo tempo que questiona qual a influência de produtos culturais no comportamento violento do público, também pega na mesma cajadada a transformação de GTA V em “bode expiatório” deste processo, já que o mesmo argumento pode ser aplicado em tantos outros produtos. Curiosamente, outra petição tenta trazer o jogo de volta para as prateleiras da Target, e foi capaz de levantar apenas 24 mil participantes, até o momento.

post2

 

Fonte: Adrenaline Uol