Deus e Oxalá se unem contra a intolerância religiosa

Mais sobre: Notícias Populares

somosreligiao
Deus e Oxalá se juntaram nessa quarta-feira contra a sentença da justiça Federal no Rio de Janeiro que considera que os “cultos afro-brasileiros não constituem religião”.

O juiz responsável entendeu que, para uma crença ser considerada religião, é preciso seguir um texto base – como a Bíblia Sagrada, Torá, ou o Alcorão, por exemplo – e ter uma estrutura hierárquica, além de um deus a ser venerado.

Entrevistados pelo jornal, os Deuses fizeram suas declarações em repúdio à sentença.

somosreligiao3

A definição aconteceu em resposta a uma ação do Ministério Público Federal (MPF) que pedia a retirada de vídeos de cultos evangélicos que foram considerados intolerantes e discriminatórios contra as práticas religiosas de matriz africana do YouTube.

A ação do MPF visava a retirada dos vídeos por considerar que o material continha apologia, incitação, disseminação de discursos de ódio, preconceito, intolerância e discriminação contra os praticantes de umbanda, candomblé e outras religiões afro-brasileiras. “Para se ter uma ideia dos conteúdos, em um dos vídeos, um pastor diz aos presentes que eles podem fechar os terreiros de macumba do bairro”, disse o procurador regional dos Direitos do Cidadão, Jaime Mitropoulos.

Com o crescimento da campanha #somostodosreligiões outros Deuses demonstraram apoio ao movimento:

somosreligiao2
Fonte: gospelmais